Origem das alianças de casamento

/
0 Comments
O significado simbólico das alianças de casamento fica normalmente em segundo plano: trocamos alianças durante a cerimónia de casamento e elas ficam connosco permanentemente, como sinal de compromisso, enquanto o casamento dura. No entanto, alguém teve de inventar esta tradição, certo? Vejamos a história.

As origens das alianças de casamento

A primeira troca de alianças de casamento de que há registo é originária do Egipto e data de há cerca de 5000 anos. Os Egípcios teciam cânhamo, em forma circular, para usar no dedo. Acreditavam que uso de alianças estava relacionado com o amor imortal.
Os Romanos alteraram o material para ferro; nesta altura, a aliança já não era um símbolo de amor imortal, mas sim, parte da transação monetária que representava o casamento. Os casamentos eram tipicamente arranjados e as noivas eram “vendidas” aos noivos para o lucro financeiro deles. A aliança era uma prova de compra assim como prova do acordo legal.

Aliança de Casamento Romana

À medida que as alianças regressaram às suas origens, como um símbolo de amor, os Europeus começaram a fazê-las mais ornamentadas, gravando flores e inscrevendo frases com significado.
Do outro lado do oceano, os puritanos na América denunciaram as alianças como fúteis e decadentes. Os colonos Americanos contornaram esta restrição através da troca de dedais – estes eram aceitáveis, porque tinham uma utilidade. Com o passar do tempo, o topo dos dedais foi cortado, dando origem às atuais alianças de casamento.

Porque se usa a aliança de casamento no quarto dedo?

Na Inglaterra medieval, o noivo deslizava a aliança pelos dedos polegar, indicador e médio da noiva, enquanto repetia, “Em nome do pai, do filho e do Espírito Santo,” antes de a colocar no quarto dedo. A tradição de colocar a aliança no quarto dedo remonta à Era Romana: Os Romanos acreditavam que uma veia chamada vena amoris (expressão em latim para “veia do amor”) corria diretamente do quarto dedo da mão esquerda até ao coração.


Nos Estados Unidos, o anel de noivado e a aliança são ambos usados, tradicionalmente, na mão esquerda, mas o mesmo não acontece noutras culturas. Em certas partes da América Latina, é comum usar o anel na mão direita durante o noivado e mudá-lo para a mão esquerda após o casamento. Na Europa, o anel de noivado é usado na mão direita e a aliança de casamento na mão esquerda (por vezes acompanhada do anel de noivado), embora em alguns países as alianças sejam usadas na mão direita, devido aos casamentos serem feitos numa cerimónia civil, na qual juram com a mão direita e não com a esquerda.

Alianças de Casamento e Homens

As alianças eram tipicamente usadas apenas pelas mulheres. O uso de alianças pelos homens não se tornou comum até à Segunda Guerra Mundial, quando os homens decidiram começar a usá-las como lembrança das esposas que deixavam em casa. Levavam as alianças com eles como sinal de afeto.